Solicite uma Demonstração

Fechar

Blog Kronoos

    Seu browser não suporta essa animação e precisa ser atualizado.
    O mercado de compliance não para de crescer

    O mercado de compliance não para de crescer. Veja números e cinco tendências!

    Segundo dados do anuário Análise, mais de 80% das grandes empresas brasileiras contam com um compliance interno. Há uma série de fatores que impulsionam o amadurecimento do mercado de compliance no Brasil, como os marcos regulatórios nacionais, investimentos em ESG e a percepção do impacto dos riscos reputacionais no valor de mercado de uma empresa.

    O crescimento do Kronoos é um indicador extremamente relevante para apontar a tendência de alta do mercado de compliance: fundei a empresa em 2017, conquistando clientes de variados portes e segmentos desde o início da operação. Comparando o faturamento de 2019 com o de 2020, conquistamos um aumento de 222%. No ano passado, 2021, superamos a marca anterior, com crescimento de faturamento de 330%. Tudo indica que fecharemos o ano de 2022 com uma carteira de clientes e faturamento ainda maior.

    É claro que nossos resultados vêm da qualidade do Kronoos, do serviço impecável de suporte que oferecemos e da tecnologia de ponta empregada em nossas soluções. Mas, sem que o mercado enxergasse a importância das ferramentas que oferecemos, esse crescimento seria impossível. Por isso, afirmo que o mercado de compliance brasileiro está em ampla expansão, com expectativas muito otimistas para os próximos anos.

    Quer saber mais sobre o que esperar para o mercado de compliance nos próximos anos? Acompanhe este conteúdo até o fim!

    5 Tendências para o mercado de compliance

    Segundo um estudo da consultoria Robert Half publicado pelo portal mundo RH, a área de compliance é uma das melhores pagadoras para profissionais do jurídico e do mercado financeiro. A disputa por bons profissionais é justificável, uma vez que a 63% das empresas que participaram da 4ª edição do estudo de maturidade do compliance no Brasil, feito pela KPMG, apontou que não conhecia ou não se apoiava muito na tecnologia para fazer seus controles e verificações de compliance.

    A tecnologia surge como uma auxiliar na tomada de decisão e jamais será capaz de substituir bons profissionais. No entanto, desconfio que a tendência natural do mercado seja caminhar para a sinergia entre os colaboradores e as ferramentas tecnológicas. Por isso, aponto a seguir 5 tendências relevantes para o mercado de compliance.

    1. Uso de Big Data Analytics

    Tomar decisões com base em dados é uma estratégia fundamental para aumentar o grau de assertividade em qualquer negócio. Por isso, o compliance empresarial, cada vez mais, vai se apoiar na análise de bases de consulta confiáveis, adotando soluções que usem Big Data Analytics para obter, tratar e analisar dados de pesquisas.

    O volume de dados gerados por empresas, pessoas e órgãos governamentais é cada vez maior. Seria impossível fazer a verificação, compilação e estudo de dados em grande quantidade de forma manual. Com a adoção de ferramentas de compliance como o Kronoos, no entanto, isso é fácil de fazer, com a produção de dossiês em cerca de um minuto, possibilitando o levantamento de dados de mais de 3.500 fontes.

    2. Mais cuidado com as pessoas físicas envolvidas nas empresas

    Por mais que as empresas sejam entidades autônomas, é certo que a reputação e os relacionamentos das pessoas que conduzem o negócio influenciam em sua confiabilidade. Por isso, mesmo para quem trabalha com compliance empresarial, entender as possibilidades de verificação de alvos de pesquisa pessoa física é fundamental.

    Usando as soluções do Kronoos é possível identificar as pessoas físicas relacionadas a um determinado CNPJ, seus relacionamentos e histórico. Tudo isso é entregue ao profissional de compliance em dossiês e gráficos de fácil visualização, aumentando as chances de detectar riscos que passariam despercebidos em uma consulta mais rasa.

    3. Automação

    Segundo uma projeção feita pela Gartner, até 2025, pelo menos 20% das empresas de médio e grande porte adotarão a inteligência artificial e automação em seus processos. Os negócios estão cada vez mais guiados por dados (data driven) e para lidar com uma grande quantidade de dados, nada melhor que a automação.

    Como já falei acima, o volume de dados e fontes de consulta para verificação de compliance é enorme. Seria impossível manter controles atualizados e cumprir obrigações regulatórias sem adotar automação. Por isso, o uso de ferramentas inteligentes, que permitam a busca automatizada das informações, é uma tendência muito forte para o mercado de compliance.

    4. Incorporação de indicadores ESG

    A 17ª carteira do índice ESG da B3 (ISE B3) foi divulgada com um aumento significativo de participantes: de 40 para 46, com uma ampliação de setores de 15 para 27. O aumento da diversidade das empresas e ativos integrantes do índice demonstra o maior interesse dos investidores pelo compromisso com práticas de gestão sustentável nas empresas.

    Sob o ponto de vista do compliance, chama a atenção o amplo comprometimento das empresas participantes com as boas práticas: 99% delas afirmou que oferece canais de denúncia para casos de condutas de assédio e/ou discriminação. 

    Essa preocupação vem da maior conscientização, mas também das vantagens de aderir aos princípios ESG nas empresas. Uma pesquisa feita pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) apontou que mais da metade dos investidores que afirmam entender sobre a agenda ESG (94% dos entrevistados) apontam que os indicadores ESG fazem parte de seu processo de tomada de decisão de investimento.

    Como a adoção de boas práticas ESG passa, obrigatoriamente, por um aumento do nível de compliance e governança corporativa, essa tendência certamente impactará o mercado de compliance.

    5. Proteção de dados pessoais

    A proteção de dados pessoais é objeto de regulamentação cada vez mais rígida, tanto nacional quanto internacionalmente. Quem deixar de seguir o previsto nas normas de proteção está sujeito a riscos como multas, proibição de continuar operando, perda de clientes e redução de participação no mercado.

    A questão da governança de dados é pauta obrigatória nas empresas de qualquer tamanho. Saber como adotar boas práticas de tratamento de dados e escolher fornecedores comprometidos com a LGPD é fundamental em qualquer organização.

    Acompanhar as tendências do mercado de compliance é importante para a atualização profissional, para conhecer e incorporar boas práticas e novas tecnologias. Se quiser conhecer mais sobre esses assuntos, continue acompanhando meus artigos, deixe um comentário ou entre em contato!